10 de novembro de 2011

Você é meio mal feita, né?


"Perfeição é coisa de menininha tocadora de piano"
Nelson Rodrigues


Eu não ia responder a pergunta do título à altura porque era pra ser ofensa daquelas que é o máximo de declaração afetuosa vinda do hermano elegido. Só levantei meu nariz empinado e fiz minha cara de superioridade-mor.

Meu punho esquerdo é bichado de tendinite (mas tem marca do Clube da Luta que é muito útil em situações hardcore variadas), me falta um pedaço da visão de um dos olhos, minha alergia dá medo de morte, agora meu estômago resolveu não funcionar bem de manhã e, de vez em quando, eu tenho crises nervosas de chorar piscinas olímpicas. Na época que ouvi a frase da abertura aí, eu tava curtindo uma sarna espanhola daquelas de afugentar abraços de despedida e numa maré de azar que valeu pelo ano inteiro. Eu não tava e não tô nem aí.

Mesmo que meu pai adorasse camelos e tivesse pegado os 37 que valho, eu vim sem garantia (já diria o outro broder amado – pra vocês verem como só tenho amigo gente fina). Mas, peraí... aaaaah, você também não tá garantido, né? E aí que se dá uma pane no sistema, quero ver neguim correndo desesperado em busca de manual de instruções ou tentando descobrir paradas que nem o Yahoo Perguntas responde. Fuuuuuu. \m/ TENSO.


Desconfio que faça parte da magia desse mundo aleatório ser povoado por seres essencialmente imperfeitos assim. Uma galera mal feita, de verdade. Teoria do caos, que começa no âmago da existência humana, bla bla bla. Papo chato de gente que não sabe que rumo tomam as coisas, eu sei. Mas aê, pouco importa [nerd de cgi mode on] que o specular diffuse no meu olho não ficou lá essas coisas, que um dos vértices da geometria do dedo do pé falhou, que faltou extrude em algumas partes, que o skin surface displacement não renderou direito, frikis de mierda [nerd de cgi mode off].

É muito bem feito a gente ser mal feito. Daquele bem feito que a gente usa pra bullynar o amiguinho, seguido por eita tan tan tan, e no sentido positivo (de lindeza) também. Esse tipo de coisa tem propósito maior que o céu, certeza. Nossa imperfeição de agora ainda não nos permite entender, mas nosso tempo chegará, pequeno gafanhoto.


Se te pedirem garantia, manda essa, com aquele sorriso phyno de Juliet: "Contente-se com isso. É o que temos para hoje". As pessoas costumam encarar... porque elas também esperam essa compreensão de nós.


E venha, que o que vem é perfeição, uôoo, uuuuh uh.

Nenhum comentário: