9 de janeiro de 2011

Que los cumpla feliz

"O que foi escondido é o que se escondeu
E o que foi prometido ninguém prometeu
Nem foi tempo perdido
Somos tão jovens..."

Renato Russo

Aí você faz 26 anos e, de repente, parece que os 30 estão logo ali. Que merda, hein?

Você planeja os 24 na brincadeira do primário e se sente a mais tranqs das mulheres determinadas, com o futuro decidido: CASADA, 3 FILHOS, MILIONÁRIA. Tcharam! Ninguém precisa de mais que isso, néam? Não mesmo. Não naquele momento.

Daí chegam os 25 e você só quer saber de correr desse tal futuro previsto para o ano que já passou. É tipo "vade retro casamento precoce e filhos de monte!". Eu preciso mesmo é estudar, trabalhar, ganhar minha vida antes de colocar pessoinhas no mundo e constituir família.

Tudo bem que eu não sou muito referência de planos de vida femininos, vide meu passado de questionamentos quando o pastor evangélico mandou "como assim você tem 19 anos e ainda tá aí sem namorado? Deus te criou para ser administradora do lar". Momento OI? definidor de rumos. Sempre tive muita certeza que tinha sido criada para mais do que ser apenas uma boa dona de casa. Aquilo soou como ofensa, fui procurar outro canto para fortalecer minhas crenças.

Não me falta habilidade para cozinhar, lavar, passar e cuidar bem do homem da minha vida. Não me falta o homem da minha vida. Nem a idade, nem a vontade de viver logo a magia toda. Me falta o momento.

Aqui estou eu, estudante apenas. Aos 26. Uuuuuuh, tremam! Mas não é qualquer estudo, justificaria aos meus pais, caso necessário (ainda bem que não é). Eu sou uma mulher bem graduada em universidade reconhecida, especialista em outra faculdade si-nix-tra e mestranda em animação nas Oropa. Te mete?

Daí os mais xaropes vão dar aquela olhadela torta "Que? Desenho animado? É isso que você estuda?" Sim, senhor. "E quando é que você cresce? O estudo é eterno? Vai ficar brincando de desenho para sempre?" No cu, véi. Vão caçar uma lavagem de roupa, diria Goretchy. Quem me agride com perguntas desse nível não merece nem meu olhar de paciência para respondê-las.

A máxima é seja feliz. Não preciso justificar nada pra ninguém, mas ó: logo logo eu faço minar muito dinheiro das e nas minhas mãos habilidosas e filhos do meu útero fértil. É esse o desespero da idade em mulheres? Então tô tranquila e serena. Sem agonias, vai. Temos todo tempo do mundo... Enquanto eu puder respirar e me sentir aliviada em viver tudo isso, seja como for, eu estarei bem.

Tô bem. Hoje mais velha. Cada dia melhor.

E com saudades, sempre! jajaja
Obrigada por todos os bons desejos. Queria o agito de sempre com 40 neguinhos selecionados se apertando num restaurante de uma esquina dos SCSbrubs da vida... mas já deu pra sentir o amor aqui de longe!
Gracias!

Muá

4 comentários:

Isabela disse...

Lembra daquela brincadeira que a gente colocava no centro do papel a idade com a qual nos casaríamos? Nos cantos da folha, escrevíamos o país em onde moraríamos, o número de filhos e o nome do nosso futuro marido. Pois é. Naquela época, eu me casaria aos 21 com o príncipe Willian e moraria na Inglaterra. Há! Mas não fique triste! Somos MEGA jovens ainda. Te hecho de menos! Besos, chica!

.a que congemina disse...

Quando o Leo contou, todo com cara de bobo, quando eu disse que tinha vontade de trabalhar com dublagem de desenhos "Minha namorada mexe justamente com animações", eu só consegui pensar que isso é que é ser foda e é o caminho certo pra ter uma vida boa. Fazer o que se gosta e ter perto quem se gosta. O resto é consequência!

=**

.a que congemina disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Man* disse...

De repente eu encontro um vídeo seu no youtube que me emocionou.

Adorei o seu trabalho, adorei o seu blog!

Como eu faço pra falar com você, pra ver se você pode fazer um trabalhinho pra mim? rs

Qualquer coisa me responde por email flor? amanda.belem@hotmail.com

Obrigada
Beijoos
e Parabéns por mais um ano!!