8 de dezembro de 2010

O que (se) faz sentido agora

"Eu apenas queria que você soubesse
Que aquela alegria ainda está comigo
E que a minha ternura não ficou na estrada
Não ficou no tempo presa na poeira"

Gonzaguinha

Posso parecer precipitada, mas já tirei algumas conclusões do novo mundo liviano. Confira:

O que é bem diferente...
- A acetona é cheirosa.
- Os churros não têm recheio e são chamados de porras.
- A água da torneira é potável (seu psico vai resistir por dias a tomar sem fazer seu bucho sentir algum mal-estar, mas logo você desencana. Tenha poder sobre sua mente que seu corpo aguenta!).
- Para fazer as unhas das mãos, o mínimo que se paga é 5 euros (láaa onde o vento faz a curva, só pintar e lixar) e a média comum é de 30 euros (!!!). Para compensar, nos cabelereiros você pode pagar pra modelar ou cortar seu pelo por 10 euros no Marco Aldany, o Metarmofose/Werner daqui.
- As mulheres andam muito maquiadas (os olhos sempre marcados com delineador e rímel) e ostentam penteados bem esquisitos. Aqui, são elas que chegam chegando nos caras.
- Os galanteios pedreiros são algo tipo dois beijinhos no ar, como se a moça fosse uma cabrita, vaca ou qualquer coisa do curral dele (só pode ¬¬). Os menos da roça mandam um "uh lá lá" ou buzinam. Ou seja, tamo bem de pedreiragem.
- Talvez meu hairstyle tenha ajudado (RS), mas acho que madrileños não fazem pouco caso de estrangeiros... pelo contrário, são até bem receptivos. Só não inventa de mandar um "do you speak English?" numa vendinha, que aí vão te olhar torto mesmo e, caso they do, vão desaprender na hora só por indisposição. Tentar o espanhol me parece sempre uma boa ideia (até com chinos).
- As roupas são baratas. Fácil achar blusinhas por menos de 10 euros na Zara, H&M, C&A. A FNAC também é um arraso de preços mais acessíveis que os nossos (pero no mucho).
- Botas lindíssimas são mais baratas que Converses.
- O McDonalds tem 2 tipos de batatas fritas e o Burger King tem até maçã cortadinha como batata.
- As bananas são caras e todo mundo tem que por luvinha de plástico pra mexer nas frutas. Eu me atrevi a fazer diferente e fui fulminada pelo olhar de uma senhorinha (pra nunca maix).
- Pedintes ficam na porta do supermercado, de pé, bem vestidos, agasalhados, sorridentes e tals. Sim, pe-din-tes.
- As maiores ofensas são "me cago en tus muertos" e na "concha de tu madre". "Mierda" e "joder" são boas palavras pra manter no vocabulário também. X)
- Virtualmente, o hahaha é jajaja, jejejejeje, jijiji.
- Falam "vale" para tudo e "venga" até antes de se despedir. Nonsense, mas funciona assim.
 - Sem calefação não há vida... aquecida.
- Quem traz presente no Natal são os Três Reis Magos, não o Papai Noel (isso faz tão mais sentido pra mim).

Parece igual...
- O espanhol continua sendo a língua mais engraçada que rola (e ganha, cada dia mais, meu respeito e admiração).
- Piriguetes não sentem nem frio de grau Celsius negativos. Oi? O.o
- Existem brasileiros preguiçosos em todo o mundo. Sabe aquele tipo que vive há mais de 2 anos atendendo gente em Madrid e não sabem pronunciar um "¡Hola! ¿Qué Tal?" direito? Então.
- Orientais dominam a pirataria, o inglês domina nas músicas que passam nas rádios e eu domino o 3D... gealous, NOT YET.

O curso tá pesadíssimo e eu virei nerd de ir quase todo dia pra escola, no horário que não tem aula, pra fazer tarefas (é, UnB, você foi moleza perto disso aqui). Tive que me render ao PC, porque meus amados MACs não dão conta de computação gráfica direito. Quer dizer... dão sim, mas eu teria que gastar o triplo, no mínimo, pra fazer algo cabulosíssimo com eles. Logo, troca feita, com peso no coração e não no bolso.

Nevou só um pouquinho e eu virei a criança mais feliz do mundo quando senti os floquinhos caindo em mim. Tipo I'm siiiinging in the snooooow. Aaaah, laissez-moi! Quando nevar na real, eu posto vídeo de ambientes brancos como nos filmes.



Minha casa é uma lindeza. Meu quarto é grande e cabe uns 5 amigos espalhados por colchões no chão, caso estejam planejando caravana aí. ;) Além disso, o melhor alfajor do mundo está na esquina da minha rua e não há mau humor (por frio ou saudade) que resista a guloseima. Hogar, dulce hogar. VENGA!

Sinto falta de colocar havaianas e tomar sol deitada na rede, depois do almoço de arroz e feijão (que não são comuns por aqui) da minha mãe. E de andar com roupas leves, usar meus vestidos e sair de casa com menos de 3 camadas de pano. De ganhar dinheiro no fim do mês. De trabalhar não :D.
De rostinhos familiares e de abraços amáveis sim... y mucho.

Então é Natal, ho ho ho.
Contando os dias.

4 comentários:

.a que congemina disse...

Bom saber que a água é potável!
Observações:
1. seu cabelo tá lindo. LINDO!
2. você se comportou muito bem na neve. Acho que eu faria o maior estardalhaço.
3 cabeleireiro é barato aí, hein? E acho que vou fazer um curso de manicure pra ficar rica ne Oropa. Minha vizinha, alemã de nascimento, mas refugiada na época da 2a guerra me contou, horrorizada, que na Alemanha não se lixam os pés, mas paga-se um horror de dinhriro pra tirar a pele morta com lâmina, GILETTE. Morri.

Seja NERD, faz direitinho, que passa mais rápido e você volta logo.

Beijo, menina!
=*****

tassi disse...

Hahaha também pensei em abrir um"handstyle" aí ahaha.

Vc tá ainda mais bonita. Como consegue? =) Ameiii seu cabelo.

Gostei de ver o sorrisão. Arrasa aí pequena! =*

Isabela disse...

Você pode até sentir saudades das havaianas, mas fica LINDA no modelito inverno. Tá tendo feira de natal por aí? Adoro os madrileños malucos que colocam perucas e chapéus engraçados para desfilar pela rua. Besos!

Suzi Sarmento disse...

LIIVINHAAA!

Concordo com a .a que congemina!! Seu cabelo ta lindo!!

Uma princesinha Oropéia!!

❄ ❄ ❄ ❄ ❄ ❄ ❄ ❄ ❄ ❄ ❄ ❄ ❄

Nieeeveeeeeee que tudo moneraa!!