14 de novembro de 2010

A sombra no meio do caminho

"Esta vida é uma estranha hospedaria,
De onde se parte quase sempre às tontas,
Pois nunca as nossas malas estão prontas,
E a nossa conta nunca está em dia."
Quintana


A formiga de mochila viajou até a sombra na pedra seguinte e comentou com alguns dos outros peregrinos sobre como a vida estava complicada nos últimos dias. Não sabia explicar se era por conta do clima, da falta de comida e água, das distâncias que tinha que percorrer, das sandálias gastas, da quantidade de trabalho, de todo suor, de todo esforço.

Poderiam ser tantas as causas, mas talvez só fosse uma. Ela não saberia dizer o que exatamente.

Respirou fundo e sentou-se para descansar. Não estava triste por dificuldade alguma. Naquele momento, só conseguiu agradecer com sinceridade pelo lugar à sombra.

Nenhum comentário: