6 de maio de 2009

Sou de Filó

"A maior dor do vento é não ser colorido"
Mário Quintana


Antes que o tratado crie teia, estou batendo o ponto liviano.

Hoje, tenho poucas certezas (pra variar), mas elas são tão fortes e claras que compensam quase toda a bruma que envolve o futuro próximo. Menos de 2 meses para meu compromisso oficial com o Rio acabar e eu já sei o que quero. Ahan, sei... ¬¬

No me gusta decidir agora pela loucura que vai ser a virada do semestre. Teria algumas opções para apresentar e elas variam da mais sensata (com os pés bem fincados no chão e uma mulher trabalhadora de peito aberto, disposta a se lançar no esquema comum de pessoas adultas assalariadas em empregos estáveis, com benefícios e plano de saúde) à mais utópica (com vôos leves e inusitados, flutuações de acordo com o vento e vida de borboleta encantada, que curte sentir antenas balançando pelo mundo afora - e que, provavelmente, é amiga de pôneis coloridos que soltam puns de glitter).

É, não adianta: eu queria viver o sonho sempre. Mas aí, como ser humano que tem um corpo para manter, preciso acordar de vez em quando, nem que seja só pra dar aquela sacudida ou atacar a geladeira e me reabastecer para a próxima cochilada ixperta... Ai que sono.

Deitada na cama, paro e penso. E agora? Qual dos sonhos vêm primeiro? Bom mesmo é poder escolher, já diria o cavaleiro. Infelizmente, nada fica em stand by eterno. E, na realidade, isso não é um problema. Copo metade cheio, que tal?

É como se eu tivesse que selecionar a programação da minha TV. O desenho animado que tiver que assistir para minha vida ser completa vai ter que rolar uma hora ou outra. E se não acontecer, eu vou dar um jeitinho para que meus olhos o contemplem. Aqueles que não parecem os melhores, sorry periferia. Temos prioridades, certo?

Let it be. Tô quase pronta, andando sobre fios e sentindo a direção da brisa, incolor e nada palpável. Quando a hora chegar, eu vou saber exatamente o que fazer. Ou não. E se eu não souber e/ou errar na escolha, who minds? Tudo sempre dá certo no final mesmo.

Venha maio, venha junho. A próxima metade do ano que espere para acontecer na hora que deve. Um dia de cada vez... não me pressionem.

Enquanto isso, filomeneio.

2 comentários:

Energizaizer's disse...

e um dia você volta pra brincar comigo?!

Livia Holanda disse...

of course, my dear!