23 de outubro de 2008

Suspiro

Eu contaria a historinha do pontinho magenta que deixou o planeta azul para se aventurar no vácuo colorido e depois de alguns anos intergalácticos reparou que um ponto, não tão pequenino, avermelhado (daqueles que não passam desapercebido a vista de ponto nenhum) começou a saltitar no mundão azul. Chamou tanta atenção que sacudiu o magenta e o imenso vazio.

Mas na verdade, eu só quero registrar como é estranho viver num planeta cinza, querer sentir férias constantes no verde, e desejar o ponto vermelho do azul. Mais do que isso: ter a impressão que o tempo de pertencer a um planeta só está próximo, embora não se faça a mínima idéia da preferência de cor.

Que surjam os imprevistos lindos todos para que tudo seja emocionante e intenso. E que venha com bolo de milho sem farinha, alívio de stress pela simples presença, medo de barata, banho de chuva com ai ai ais, andanças sem cansaço, caminho para o fim do mundo sonolento e bons sonhos, realidade, sonhos, realidade. Estranhamente natural. Macio e cheiroso. Morde minha boca? Muita leveza e alguma certeza... vontade. Saudade assim faz doer e amarga que nem jiló. Distante, mas sentindo a respiração forte ao ouvido... fica comigo?

Quero como "a um cachorrinho verde" do Quintana.

Meant to be.

2 de outubro de 2008

Dare you to move

"Se o amor leva à felicidade,
se leva à morte,
se leva a algum destino.
Se te leva.
E se vai, ele mesmo…
Não faças de ti um sonho a realizar.
Vai."

Clarice Lispector



Vou sim sim!
Como se fosse forte, como se fosse grande...
Às vezes me dou conta que passei de menina sonhadora a uma mulherzinha realizadora.
Mas não deixei de ser as duas numa só. E mais um tantão de outras Livias também.

E, quer saber? Me jogo mesmo nessa poxa! uhuhu.

Algo me diz, aqui dentro, lá no mais profundo âmago do meu ser, que viemos ao mundo para nos divertir. E enquanto eu consigo escutar essa vozinha baixinha, quase um murmúrio, tenho que aproveitar e topar a proposta. Deal!

So, let's just enjoy it!
:o)


Yukon Ho, Mari!